Destaques: Paris Fashion Week



Mais uma semana de moda concluída com sucesso em Paris. Enquanto algumas fashion girls arrasavam com suas produções nas ruas da cidade luz, nas passarelas,  marcas de peso apresentavam suas coleções com temáticas das mais variadas.

Chanel e Dior mais explicitamente mostraram um certo inquietamento com os rumos da sociedade e marcaram seus shows com mensagens de mudança e movimento. Já Balenciaga decidiu mexer nas estruturas e apresentar novas formas de usar peças que já conhecemos. Balmain e Elie Saab apostaram na dramaticidade e no peso dos tons escuros para apresentar suas coleções.

Tudo isso e muito mais você confere logo abaixo com nossa seleção dos destaques da Paris Fahsion Week:

Chanel


Chanel/coleção Ready to Wear Outono 2017

Chanel/coleção Ready to Wear Outono 2017

Chanel/coleção Ready to Wear Outono 2017

Chanel/coleção Ready to Wear Outono 2017

Karl Lagerfeld fez, mais uma vez, um show à parte para apresentar a coleção outono/inverno, com direito a foguete decolando no Grand Palais ao final do desfile. A temática futurística espacial  da passarela de Chanel garantiu uma infinidade de tons e peças metálicas. Desde botas glitterinadas, tiaras e choker prateadas a vestidos e bermudas  reluzentes.

Destaque para as estampas de astronautas e de luas que exibiram literalmente a proposta do show. As bolsas arredondadas e em formado de foguete encantaram o pública e deram o tom de descontração do desfile.

Balenciaga


Balenciaga/coleção Ready to Wear Outono 2017
Balenciaga/coleção Ready to Wear Outono 2017

Balenciaga/coleção Ready to Wear Outono 2017

Assimetria foi a palavra de ordem do show da Balenciaga, não só nas proporções das peças como nos recortes. Demna Gvasalia  apresentou novas propostas para peças tradicionais como o blazer abotoado no obro, reinventado o modo como vestimos a peça (Novo truque de styling?) Os volumes também receberam destaque na passarela, com vestidos bufantes, plumas e babados oversized. 

Elie Saab



Elie Saab/coleção Ready to Wear Outono 2017

Elie Saab/coleção Ready to Wear Outono 2017

Elie Saab/coleção Ready to Wear Outono 2017

Elie Saab/coleção Ready to Wear Outono 2017

Com uma proposta menos comercial e mais romântica, Elie Saab nos encantou com sua coleção dark e lírica. Inspirado no ballet Giselle, a label desenvolveu um conjunto de peças que mistura tecidos leves e fluidos, como o tule, com materiais mais pesados, como veludo e couro. Destaque também para os acabamentos com pelagens e plumas.

O resultado desse mix foram peças graciosas com uma boa dose de informação e bem trabalhadas com laços e transparências. Já o elemento dança foi dissolvido nos detalhes das saias de comprimento bailarina, nas meia calças de bolinhas e nos babados.

Balmain


Balmain/coleção Ready to Wear Outono 2017

Balmain/coleção Ready to Wear Outono 2017

Balmain/coleção Ready to Wear Outono 2017

A passarela de Balmain foi marcada pela extravagância: muitas texturas, bordados, tecidos e nuances, tudo isso em uma só peça. E deu muito certo! As sobreposições e justaposições desses materiais ajudaram a criar peças super trabalhadas e de atitude. Com uma temática Rock and Roll,  o designer Olivier Rousteing conseguiu trazer para as passarelas alguns elementos da identidade grunge como couro, telas e maquiagens dramáticas.

Quanto à estrutura e modelagem, características marcantes do designer, o que se viu foi uma maior flexibilidade: t-shirts largas, vestidos mais fluidos e peças oversized. O detalhe que dominou o show foi sem dúvida as franjas, dos mais variados materiais e tamanhos, isso garantiu leveza e movimento para as peças carregadas de informação.

Christian Dior


Dior/coleção Ready to Wear Outono 2017

Dior/coleção Ready to Wear Outono 2017

Dior/coleção Ready to Wear Outono 2017

Dior/coleção Ready to Wear Outono 2017

Inspirada nas nuances do azul, cor estimada por Christian Dior, Maria Grazia Chiuri trouxe para o show da grife uma mensagem de militância, fato marcante da última coleção de verão. Dessa vez a designer quis abordar a temática de forma mais diluída, por meio de peças emblemáticas do feminismo como os macacões jeans, uniformes industriais femininos da Segunda Gerra Mundial, e peças que remetem à revolta e revolução, como coturnos e boinas à la Cheguevara.

A grife manteve certa fluidez através  de seus já conhecidos vestidos de tule com bustiê e incrementou um pouco de textura com peças de veludo, muitas com estampas místicas sobre o universo e os astros, tema presente no último show do alta costura da label.

Fotos: Vogue











 


0 comentários:

Follow @revistaguita